Educação Ambiental

Antes de tudo, o que é essa tal de educação ambiental de que todo mundo fala?

A Educação Ambiental é um conceito cada vez mais aceito como sinônimo de educação para o desenvolvimento sustentável ou de educação para a sustentabilidade.

Complicou.. o que significa desenvolvimento sustentável?

De uma forma bem simples, podemos dizer que desenvolvimento sustentável é o nome usado para se referir aos modelos de desenvolvimento adotados por alguns povos (ou mesmo grupos de pessoas) que lhes permitem atender às suas necessidades presentes sem comprometer a possibilidade de suas gerações futuras atenderem à suas próprias necessidades.

Assim, para a ABFPAR, educação ambiental é um processo educativo que tem como finalidade a formação de cidadãos “ambientalmente cultos”, preocupados com a defesa e melhoria da qualidade do ambiente natural e humano e, principalmente, capazes de intervir para a manutenção do equilíbrio presente e futuro desses ambientes.

Pronto, agora que sabemos um pouquinho sobre educação ambiental, podemos perguntar: o que os objetivos da ABFPAR tem a ver com educação?

A falta de educação é justamente o maior problema enfrentado pelas aves de rapina e pela falcoaria no Brasil. O desconhecimento do público sobre a importância das aves de rapina e sua função natural, aliado à indiferença, superstições e noções errôneas ou vazias sobre conservação da natureza, ameaça as populações destas aves, prejudicando também o julgamento da falcoaria e a aceitação da sua prática.

Por esses motivos, para que a ABFPAR alcance seus objetivos institucionais, é necessário também desenvolver programas de sensibilização e de educação ambiental, ensinando às pessoas sobre a função natural das aves predadoras, a necessidade de sua conservação e a importância do trabalho científico para a construção de conhecimentos sobre a fauna brasileira.

Infelizmente, vivemos o período de crescimento do chamado “marketing ambiental” onde a televisão, as empresas e mesmo as escolas levam a população a confundir os conceitos de “educação ambiental” com aulas no zoológico e “desenvolvimento sustentável” com o plantio e exploração de espécies exóticas, comoPinus e Eucalypitus, tornando esses conceitos palavras vazias, dificultando sua assimilação pela maior parte do público e prejudicando as pessoas realmente interessadas na conservação de nossos recursos naturais.

Para ajudar a diminuir o avanço destes tipos distorcidos de entendimento sobre importantes temas ambientais, a ABFPAR tem procurado uniformizar conteúdos, objetivos, metodologias e práticas educacionais.

O objetivo maior é sempre facilitar a difusão de informações sobre as aves de rapina e suas importantes funções naturais, reduzindo os malefícios provocados por superstições e subsidiando o enriquecimento dos conteúdos didáticos desenvolvidos por educadores em todo o Brasil.