A falcoaria hoje

Tradição e conservação caminhando juntas.

A atual popularidade que a falcoaria goza em todo o mundo, sendo abordada continuamente em programas televisivos, documentários, reportagens, artigos científicos e congressos relacionados à conservação da natureza, deve-se à recente elevação de sua prática à uma nova e mais nobre aplicação. Hoje a falcoaria é patrimônio imaterial e invaginável da humanidade pela Unesco.

Com sua descoberta por ambientalistas modernos como uma ferramenta de grande auxílio em programas de conservação de predadores, o conjunto de técnicas de falcoaria passou a ser estudado e aplicado em projetos de re-integração de aves de rapina à vida em liberdade, originando a expectativa de que pudesse ser aplicada também em muitas outras situações.

Dessa forma e graças à sua capacidade de estabelecer ou reduzir elos de dependência entre animal e tratador, direcionando o desenvolvimento da ave de acordo com os fins propostos, a falcoaria começou a ser utilizada com sucesso também em zoológicos, centros de triagem e projetos de reprodução e educação ambiental em todo o mundo, auxiliando também programas de controle biológico em aeroportos e aterros sanitários.

Hoje, graças ao conhecimento sobre comportamento animal, condicionamento físico e técnicas originalmente desenvolvidas pela falcoaria, é possível melhor manejar, procriar e mesmo re-introduzir na natureza não apenas símbolos nacionais como a águia-careca americana e o condor andino, mas várias espécies de aves de rapina ameaçadas em todo o mundo, como:

A Harpia (Harpia harpyja), na América Central;

O gavião de penacho (Spizaetus ornatus), na Argentina;

O condor da Califórnia (Gymnogyps californianus), nos EUA;

A águia filipina (Pythecophaga jeferryi), no arquipélago Filipino.

Os urubus (Gyps bengalensis, G. indicus e G. tenuirostris), na Ásia.

Desta maneira, uma atividade que surgiu como forma de obter alimento e que foi refinada durante o período em que foi tida como um esportes de reis, se firma hoje em  uma terceira e mais nobre condição: a de ferramenta a serviço da conservação das espécies.

Apesar de ainda não possuir regulamentação legal no Brasil, a falcoaria vem sendo bem acolhida pelo IBAMA e, através de termos de cooperação estabelecidos com este órgão regionalmente, a falcoaria vem sendo utilizada pela ABFPAR com sucesso em programas educacionais e de conservação envolvendo a triagem de aves, sua reabilitação e reintegração à vida silvestre, permitindo a construção de conhecimento sobre a fauna brasileira e contribuindo para a sua conservação.